Arquivo do blogue

estado de espírito.

<a href="http://www.youtube.com/watch?v=?hl=en&autoplay=1&loop=1"><img src="http://www.gtaero.net/ytmusic/play.png" alt="Play" style="border:0px;" /></a>

17 de junho de 2011

feeling good (7)


De novo aquela brisa explodia sobre o seu corpo. O seu pequeno diário novamente ganhara vida. Uma nova vida. Naquele dia tão sombrio, tão melancólico. Um acordar repleto de desgraça e tormento. Nada como aquele jardim para amenizar a sua alma. Aquelas flores tão cheirosinhas que transpiravam alegria. Parou por uns segundos e mirou aquele pequeno presente deixado no seu correio... que coração era aquele? A quem pertencia? Uma pequena mãozinha entrelaçou-se numa das páginas do seu diário. Era novamente a menina do "horizonte"...
-"Ora cá estás tu outra vez, como estás?"
-"Bem... tenho uma coisa para te dar..."
-"Mais uma? Tu estragas-me rapariga! E aquele arco tão lindo que me deste, está lá no meu quarto...a espalhar magia!"
-"Sim, e hoje tenho uma carta!"
-"Uma carta? De quem?"
-"Ora de quem havia de ser!? Sabes o que significara aquele arco?"
-"Ultimamente tenho estado intrigada com esse pormenor...queres contar-me?"
-"A letra "o"... Quer mostrar a letra "o""
-"Estou cada vez mais confusa... explica-me, explica-me! " (Para. Fica estática e remexe no bolso. Tira de lá a sua pedra brilhante.) - "Guardei isto, eu sabia que isto significava alguma coisa, diz-me o que quer este pequeno xisto dizer! Tu sabes! Conta-me. Eu morro, eu morro de curiosidade!" Os seus olhos não paravam de reluzir quase a suplicar aquela criança loirinha.
-"Bem, com isso... Ele quis dar-te uma palavra...."
-"Isto é alguma brincadeira? Ultimamente parece que tenho sido alvo delas! Já no outro dia me ligaram, um desconhecido qualquer... a dizer que "sentiu", sentiu o quê? Ora agora, han! Ele, ele quem?. Mas de quem era aquela voz? Deixou-me tontinha, menina! Tontinha!"
De repente os olhos são cobertos por umas nobres mãos, suaves e doces! 
-"E senti..."
Agarra-lhe os pulsos com toda a intensidade e depara-se com "Ele". O deslumbrante rapaz que viu naquele dia, de quem não deixara de pensar a todo o segundo.
-"Eras tu?" - As suas maçãs do rosto caramelizavam...a sua pulsação acelarava frenéticamente.
-"Sim. Eu senti que me guiavas com o teu olhar"-Agarra as suas mãos trémulas e suadas de tanta emoção e coloca-as junto ao seu coração-"Reconheces isto? Dei-te a conhecer ao pormenor... Ele agora já não bate, no entando, quanto te sinto por perto ele ganha uma vida novamente"
-"Eu...Eu não sei o que dizer, as palavras atropelam-se. Estão-me a fugir, só consigo sentir vida nas minhas mãos...agora que estão junto às tuas. Tudo o que tenho para dizer está concentrado aí, junto ao teu coração."
-"Eu sabia. Eu sabia que eras tão dócil como aparentavas ser...Vou ter que ir embora, voltarei a ver-te? Vem para aqui. Vem visitar este jardim sempre que puderes."
-"Mas... onde vives? Vais-me deixar sem nada teu?"
-"Não, deixo-te esta carta. A carta que menina do "horizonte" te ofereceu. Lê. Lá diz tudo o que precisas de saber..."
Não foi um beijo. Foi mais que isso. O mundo parou, os olhos de toda aquela multidão se fixou naquele momento divino. Ele sumiu sem que ela se apercebe-se. Abriu os olhos, e não hesitou. Começou a ler a tal carta..



"Não te disse o meu nome. Chamo-me Samuel e tenho 19 anos. Venero este jardim. É aqui que me sinto bem. Amo flores. Actualmente são a minha única família. Elas gostam de mim também. E sabes uma coisa? Elas também gostam de ti. Gostam que tu lhes faças companhia. Fui eu que te liguei naquele dia. Quando pronunciei a tal palavra "senti", queria na realidade expressar um acrónimo. Dei-te um "S", um "E", um "N", um "T" e um "I"

Os arcos simbolizaram a letra "o", e assim formavas o "" e "no" com o "S" e o "N" que te ofereci. Aquele xisto, junta-o ao "E" e forma a palavra existo... e aquela carta em que leste um "EU"...bem agora é tudo mais fácil, basta juntá-la à letra "T" para originar: "teu". Só me resta a ultima palavra, mas essa mostrei pelo toque. Mostrei-te o meu "Interior" quando levei aos tuas mãos ao encontro do meu coração... espero que o tenhas sentido...porque transpareci tudo o que me fazes sentir quando estás por perto.

Com estas pistas, apenas te queria dizer que... "só existo no teu interior". 
E que aquela notícia que te deparaste esta manhã...sou eu.
Ainda assim com o meu coração interrompido...ele consegue bater por ti.

Espero que depois disto, não fiques com medo de mim. Eu aguardarei uma nova visita tua. Eu e as flores. Como te disse, contigo...o meu coração ganha uma segunda vida. Transformaste-me num imortal. 


PS: Amo-te."

2 comentários:

c. disse...

DESLUMBRANTE!

IF disse...

lindo, lindo, lindo!